Av. Ceará, 572, Porto Alegre, RS.
+55 51 3337.1233
Casa Das Gaxetas Atendimento
Fatores que definem a vedação ideal

Na hora de escolher a vedação ideal para o seu equipamento, é necessário levar alguns aspectos em consideração para que a função da mesma seja de fato eficaz e sua vida útil prolongada.

Por isso, hoje, preparamos uma lista com os principais fatores que devem ser analisados antes de definir o perfil e o composto certo para realizar a vedação do seu caso. Confira!

 

1.   Faixa de pressão

Um dos fatores que devem ser analisados previamente é a pressão a qual a vedação será submetida, sendo que cada tipo de sistema/equipamento apresenta uma faixa de pressão de trabalho específica.

É necessário avaliar qual a variação de pressão que a vedação suporta, tendo em vista que não é ideal que a vedação trabalhe no seu limite, pois isto poderá causar avarias ao sistema.

 

2.   Temperatura

Outro fator relevante é a temperatura que a vedação será submetida, pois os compostos/materiais suportam faixas diferentes.

Como orientação, sugerimos evitar condições de trabalho extremas, com  pressão e temperatura elevadas, isso reduz a vida útil dos vedantes.

 

3.   Tipo de fluído

O tipo de fluído utilizado no sistema é um dos principais fatores a ser analisado, onde poderemos analisar a compatibilidade química com o material/composto ideal.

Exemplificando, há vedações fabricadas a partir de compostos que não atuam bem diante de fluidos alcalinos, com pH baixo, já outros materiais não suportam fluídos com pH ácido, e há aquelas que podem atuar em uma determinada faixa que vai de 4 a 10 na escala de pH, por exemplo.

É importante ficar atento ao estado do mesmo, se ele é líquido ou gasoso, qual a sua viscosidade, seu potencial cristalizante, e assim por diante. 

Estas características são importantes pois no caso de um fluido que tenha sólidos suspensos, é importante escolher uma vedação resistente à abrasão, já em um sistema com fluido gasoso, é interessante buscar por uma vedação autolubrificante.

Conhecer de fato o tipo de fluido e suas características fará com que a vedação certa seja escolhida, e por consequência, que a vida útil da mesma seja prolongada, pois tende a ter menos desgaste durante seu uso.

 

4.   Movimento do Sistema

Outro fator determinante é o movimento do sistema que será vedado, onde o mesmo pode ser tanto estático quanto dinâmico.

Dentro de um sistema estático não há movimento entre as peças da máquina, mas a vedação tem como objetivo vedar dois meios dentro do mesmo sistema, para impedir que haja vazamento do fluído interno para o meio externo, assim como barrar a entrada das impurezas do lado de fora para dentro do sistema.

Em um sistema estático, o tipo de vedação pode seguir um padrão com características voltadas para suportar a pressão do fluido.

Já em um sistema dinâmico, a vedação é utilizada para selar componentes em movimento, como por exemplo, bombas hidráulicas, agitadores, cilindros, e assim por diante.

O tipo de movimento dentro de um sistema dinâmico pode ser recíproco, alternativo, rotativo ou oscilante, e para escolher a vedação ideal, você deverá analisar qual tipo de movimento a mesma terá de suportar.

Vale salientar que é importante que todos os fatores citados acima sejam analisados em conjunto antes de tomar a decisão em relação à vedação a ser utilizada, pois nada adianta escolher uma peça que suporta a faixa de temperatura do sistema, mas que é fabricada a partir de um composto incompatível com o pH do fluído a ser vedado.

 

Temos a solução ideal para a vedação industrial da sua empresa. Entre em contato com um dos nossos especialistas. 

A CGL – Casa das Gaxetas é especialista em vedações industriais, está no mercado desde 1976 e possui certificação ISO 9001. Entregamos para todo país, faça seu orçamento aqui.

Related Posts